Negócios Sustentáveis

Debate aponta possível saída para a crise: economia de baixo carbono

O Instituto Ethos realizou hoje um debate sobre a crise econômica no Brasil. Os debatedores foram: José Eli da Veiga - professor da FEA-USP, John Welch - economista-global do Banco Itaú, Sérgio Besserman Vianna - professor da PUC-RJ e João Carlos Ferraz - diretor de planejamento do BNDES. O debate foi moderado pela jornalista Miriam Leitão da Globonews e da rádio CBN. Os debatedores foram unânimes em afirmar que a crise é profunda, com efeitos ainda não totalmente identificados e de longa recuperação. Os professores José Eli e Sérgio Besserman concordam que a crise não terá saída, a não ser que a economia caminhe para o chamado “baixo carbono” (drástica redução da emissão de gases do efeito estufa, responsáveis pelo aquecimento do planeta e pelas mudanças do clima). Eles afirmaram também que esgotou o tempo de pensar que a sustentabilidade ambiental é um anexo do desenvolvimento econômico. Acrescentaram ainda que a crise acaba servindo como um freio de “arrumação” da economia mundial, cuja matriz energética atual aquece o planeta de forma intolerável e as emissões de carbono não são precificadas. O prof. José Eli disse que enquanto emitir carbono não custar caro, nada irá acontecer para substituição dos combustíveis fósseis como principal fonte de energia do planeta. Ele acredita, porém, que cedo ou tarde essa substituição acontecerá. Nessa direção, o prof. Besserman sugere às empresas investirem em projetos de eficiência energética e descarbonização de suas atividades. É nesse mesmo sentido que acreditamos as instituições financeiras deveriam seguir: numa visão de mais longo prazo, rever suas estratégias à luz de uma economia que caminha na direção do baixo carbono em resposta aos impactos das mudanças do clima no ambiente de negócios.

Fórum Social Mundial promove seminário sobre sustentabilidade, Banco Central e o setor financeiro

De 27 de janeiro a 1o. de fevereiro acontecerá o Fórum Social Mundial (FSM) em Belém do Pará. O FSM é um espaço aberto de estímulo ao debate, reflexão, formulação de propostas, troca de experiências e articulação entre organizações pela construção de um outro mundo mais solidário, democrático e justo. Dentre as diversas atividades do fórum, será realizado o "Seminário: Sustentabilidade, Banco Central e Sistema Financeiro", onde iremos realizar uma apresentação sobre como os bancos estão incorporando práticas de sustentabilidade em suas estratégias de negócios e o papel do Banco Central como indutor das melhores práticas. Esse seminário, que ocorrerá no dia 30 de janeiro das 12 às 15 horas, contará com os seguintes palestrantes: Elvira Cruvinel - Banco Central do Brasil Maria de Fátima Tosini - Banco Central do Brasil Victorio Mattarozzi - consultoria Finanças Sustentáveis João Roberto Lopes Pinto - Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas - IBASE Roland Widmer - ONG Amigos da Terra - projeto Eco-finanças Antonio Gustavo Matos do Vale - Banco Central do Brasil Saiba mais sobre o Fórum Social Mundial aqui.

BNDES cria área de meio ambiente

Em mais uma etapa na direção de reforçar seu comprometimento com a realização de negócios mais sustentáveis, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES anunciou a criação de sua área de meio ambiente. Recentemente o banco ratificara a nova versão do Protocolo Verde. O BNDES informou que a questão ambiental é uma de suas prioridades e que irá trabalhar conjuntamente com o governo federal no combate ao desmatamento e às mudanças climáticas. A nova área de meio ambiente será responsável, dentre outras atribuições, pela gestão do Fundo da Amazônia, pela execução do Programa de Conservação de Energia – Proesco e de um programa especial de preservação da Mata Atlântica que ainda deverá ser lançado. Por ser o maior financiador de projetos de infra-estrutura do país, ao criar a essa nova área, entendemos que o BNDES pode contribuir para que as empresas tomadoras de recursos incorporem melhores práticas socioambientais no desenvolvimento de seus projetos.