Negócios Sustentáveis

Nova carteira do ISE pode estimular mercado de fundos

Ontem a Bovespa divulgou as empresas que irão integrar a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE, que entrará em vigor em 1º. de dezembro de 2007. A nova carteira é composta por 32 empresas (33, atual) de 13 setores (14, atual), totalizando quase 40% do total de capitalização da Bovespa (R$ 2,3 trilhões), contra 43% da carteira atual. São 7 as empresas incluídas: AES Tietê, Cesp, Eletrobrás, Light, Sabesp, Sadia e Weg. Foram 8 as empresas excluídas: ALL, Celesc, Gol, Itaúsa, Localiza, TAM, Ultrapar e Unibanco. Nessa revisão da carteira 137 empresas receberam o questionário de avaliação, contra 120 empresas no ano anterior e, respectivamente, 62 e 60 empresas responderam. Participamos da revisão dos critérios de seleção das empresas que integram o ISE, que tinha por objetivo torná-los mais rigorosos. Esse objetivo foi atendido na medida em que 8 empresas não conseguiram permanecer no ISE, o que representa 24% da atual carteira. Observamos que na revisão do ano passado esse percentual foi de apenas 14%. Salientamos também que, em função do maior rigor nos critérios e na comprovação documental, a carteira anunciada do ISE apresenta uma menor concentração setorial em relação aos anos anteriores. Essa desconcentração poderá agora estimular mais o lançamento de um número maior de fundos de ações atrelados ao ISE pelas instituições financeiras, o que contribuiria para uma maior disseminação do conceito de investimento responsável pelos investidores em geral.

Bradesco reforça estratégia de sustentabilidade dos negócios

O Banco Bradesco anunciou no dia 14/11 a criação do Banco do Planeta, que será uma área dedicada a centralizar e ampliar todos os projetos e iniciativas socioambientais do banco. Segundo a direção do Bradesco, o Banco do Planeta “estará voltado para pessoas que se importam e se mobilizam em salvar o mundo e desenvolverá ações que contribuam, por exemplo, para a redução do aquecimento global”.

Projetos Carbon Free unem empresas e comunidades locais

No dia 10 de novembro a OSCIP Iniciativa Verde iniciou o período de plantio de 2007, prevendo plantar aproximadamente 82.000 árvores de espécies nativas da Mata Atlântica. O ano de 2007 marca o nascimento de novos fragmentos florestais em seis municípios diferentes de São Paulo e Minas Gerais (Porto Feliz, Sumaré, São Carlos, Lorena, São Francisco Xavier e São Tomaz de Aquino) que juntos somam 50 hectares, ou aproximadamente 100 campos de futebol de Mata Atlântica. Todos os restauros serão feitos às margens de rios e em parceria com agentes locais, maximizando desta forma os benefícios ambientais e sociais dos projetos “Carbon Free” da Iniciativa Verde. Esses projetos têm como objetivo central fazer um elo de ligação entre as empresas que pretendem plantar árvores para neutralizar o carbono emitido em seus processos produtivos e as comunidades locais. Estas novas florestas proporcionarão a preservação dos recursos hídricos, do solo e da biodiversidade local, contribuindo também para a redução do efeito estufa. Em aproximadamente 30 anos, ao atingir a maturidade, estas árvores terão retirado da atmosfera 15,5 mil toneladas de CO2, principal gás causador do efeito estufa. Para se ter uma idéia, esta emissão de CO2 equivale a percorrer o trecho entre São Paulo e Rio de Janeiro 233.000 vezes em um carro médio a gasolina ou 134.000 vezes de avião. Assista aqui ao vídeo que registra o início do período de plantio de 2007: video